Coming soon 2

byatt

Foi divulgada nesta terça-feira a primeira lista — a chamada longlist — ao Man Booker Prize de 2009. São 13 desta feita — em setembro sai a shortlist, reduzida à metade, com seis nomes. A relação traz alguns suspeitos de sempre: Colm Toíbín, J. M. Coetzee, e A. S. Byatt. Estes dois últimos já ganharam o prêmio antes — Coetzee com Vida e Época de Michael K. (1983) e Desonra (1999), Byatt com Possessão (1990). Toíbín chegou duas vezes à shortlist, mas perdeu (uma delas, com A Luz do Farol, para Desonra). Os livros desse três que concorrem não chegaram ao país ainda, mas não devem demorar — todos os citados foram publicados no Brasil (Companhia das Letras), são bem conhecidos e as editoras brasileiras costumam apostar no poder de venda do Booker.

Entre os demais concorrentes, um caso à parte — para nós — é o livro Heliopolis, do britânico James Scudamore, que se passa, justamente, na gigantesca favela homônima de São Paulo, cidade em que ele já viveu. É um livro que, naturalmente, deve chegar a qualquer momento.

Da lista, há outros escritores que já têm livros e casa aqui. Vários: Sarah Hall (Michelangelo, o Tatuador, Nova Fronteira), Hilary Mantel (A Sombra da Guilhotina, Record), Sarah Waters (Na Ponta dos Dedos e Ronda Noturna, Record) e Simon Mawer (O Evangelho de Lucas, Ediouro). Também é conhecido aqui o irlandês William Trevor, cujo Felicia’s Journey deu no filme O Fio da Inocência (1999), de Atom Egoyan. Trevor, aliás, é um veterano do Booker Prize: já chegou à shortlist outras quatro vezes, sem sucesso.

Do ponto de vista da representação nacional, a lista mostra que o Booker Prize deu um tempo (até aqui pelo menos) com sua “política de cotas”, que sempre tenta contemplar ao máximo os países da Commonwealth e da Irlanda. Dos 13, oito são ingleses, três são da Irlanda, um é da África do Sul, outro da Austrália. Mas tenho certeza do seguinte: impossível a shortlist trazer seis ingleses. Em nome das cotas, pelo menos um irlandês marcará presença, e o sul-africano Coetzee, bem, sempre é um Coetzee.

Eis a lista:

The Children’s Book, AS Byatt (Inglaterra)
The Quickening Maze, Adam Foulds (Inglaterra)
How to Paint a Dead Man, Sarah Hall (Inglaterra)
The Wilderness, Samatha Harvey (Inglaterra)
Wolf Hall, Hilary Mantel (Inglaterra)
The Glass Room, Simon Mawer (Inglaterra)
Heliopolis, James Scudamore (Inglaterra)
The Little Stranger, Sarah Waters (Inglaterra)
Brooklyn, Colm Toíbín (Irlanda)
Love and Summer, William Trevor (Irlanda)
Me Cheeta, James Lever (Irlanda)
Summertime, JM Coetzee (África do Sul)
Not Untrue & Not Unkind, Ed O’Loughlin (Austrália)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.