Os R$ 40 milhões de Shakespeare

shakespearebill

Outro livro curioso: desta vez, Shakespeare e a Economia, de Gustavo Franco (aquele mesmo, do Plano Real) e o americano Henry W. Farnam (Zahar, 232 págs., R$ 36). São dois “aristocratas” interessados, por assim dizer, na dimensão mais ordinária do dramaturgo inglês. A ideia é boa, e vale a caracterização de Shakespeare como um homem que fez não apenas teatro popular, mas também como um empresário que enriqueceu com o negócio de “entretenimento para as massas”. De certa maneira, são dois extremos – o do saltimbanco e o do capitalista – que escapam das abordagens tradicionais  – a segunda, hoje, mais que a primeira.

O texto não facilita no dialeto economês – principalmente a primeira parte, escrita por Gustavo Franco. A estranheza que provoca, contudo, chega a ser engraçada de tão violenta.

“Em resumo, como sharer, Shakespeare estaria fazendo algo entre 42 e 189 libras, provavelmente na faixa de 60 libras. Como housekeeper, algo entre 33 e 70 libras, porém mais próximo de 60 libras, o que lhe daria um total entre 75 e 260 libras, provavelmente na faixa de 120-130 libras num ano típico, sem acidentes maiores, na época em que o Globe funcionava, mas ainda não o Blackfriars.”

No fim da vida, Shakespeare teria amealhado coisa de 1.500 libras. Mas quanto seria isso, em valores atuais? Aí começa um longo raciocínio, dos quais transcrevo apenas alguns trechos:

“A inflação acumulada de 1616 a 1956 (…) foi de 580,6%, e daí até 2009 (…) foi de 665,0%. Com esse número seria tentador atualizar as 1.500 libras originais para 78.100 libras de hoje, mas claro que o cálculo é pobre (…) Talvez mais próprio (…) seria considerar o que 1.500 libras representavam como percentual da renda nacional na ocasião, e trazer esse percentual para os dias atuais nesses termos. Isso equivale  a aplicar (…) a taxa de crescimento real do PIB observada nos 393 anos entre 1616 e 2009. (…) a taxa média anual de crescimento do PIB inglês entre 1600 e 2003 foi de 1,34%. Aplicando essa mesma taxa para o período 1611-2009, em conjunto com a elevação do custo de vida, as 1.5000 libras de 1616 se tornariam 14.606.427 libras de hoje.

O equivalente a R$ 41.856.951.

Nada mau.

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.