Escritores, pratos e o drink de um 007 apaixonado

Às vezes este blog demora, mas não falha. Especialmente em se tratando de um assunto tão caro — a conjunção livro-comida-bebida, explorada em posts anteriores (aqui, aqui e aqui, por exemplo). O mote agora é o livro Fama à Mesa, de Fabiano Dalla Bona (Tinta Negra, 184 pág., R$ 37), lançado no fim do ano passado. É um pequeno compêndio de pratos inspirados por e/ou em celebridades — estadistas, atores, músicos, entre outros. Além de contar a história por trás de cada prato, Fabiano traz a receita: File à Bismarck, Morangos à Sarah Bernhardt, Frango Atropelado de Tom Jobim…

Entre os epônimos escritores estão Agatha Christie (ovos benedict), Gabrielle D’Annuzio (risoto de rosas), Marcel Proust (madeleines) e Eça de Queiroz (arroz-doce). Os sabichões só voltam a aparecer no último capítulo, dedicado aos drinks — e, claro, como bebedores famosos. O único  escritor que inventou um foi Ian Fleming, que no livro Casino Royale botou James Bond para beber o Vesper. Tratava-se de uma homenagem à bondgirl Vesper Lynd.

Eis a bebida de um 007 (tsc tsc) apaixonado:

3 partes de gim (Gordon), 1 parte de vodca, 1/2 parte de Kina Lillet Blanc (ou vermute branco). Tudo isso chacoalhado (nunca mexido!) numa coqueteleira com gelo e servido numa taça decorada com a casca de um limão.

One Reply to “Escritores, pratos e o drink de um 007 apaixonado”

  1. […] Para quem ainda não leu o livro, a situação que se segue imediatamente a esse relato pode ser vista no vídeo acima, na adaptação bastante razoável de Roger Michell para o cinema — para ser justo, ele sai muito bem nessa cena inicial, dificílima. No papel de Joe está Daniel Craig, que já andou frequentando esse blog no seu papel mais famoso. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.