Quando ninguém é esquecido

Ainda na BRAVO! deste mês, este blogueiro escreve sobre Juliet, Nua e Crua, novo romance do inglês Nick Hornby (tradução de Paulo Reis, Rocco, 272 págs., R$ 34). Para ler a crítica, clique aqui. Em tempo: a imagem acima daria realmente uma boa capa para o disco cujo lançamento (fictício, claro) dá origem à toda a história.

One Reply to “Quando ninguém é esquecido”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.